Adubo Descomplicado

Home / Guia / Adubo Descomplicado

Como Adubar Minhas Plantas? Guia de Adubação

Quem cultiva em vaso, mais cedo ou mais tarde irá precisar repor seus nutrientes para que as plantas continuem a crescer. Por isso, é importante saber como adubar suas plantas na hora certa e com o adubo certo!

Como Adubar Minhas Plantas?

Guia de Adubação

Me lembro muito bem das minhas primeiras compras na jardinaria. Segurava um saco com substrato numa mão, caminhando pela prateleira de adubos.

“Tá falando aqui na embalagem que não precisa de fertilizante… Esse saco de adubo então deve ser para quem planta em quintal!”

Enquanto as plantas cultivadas direto na terra podem buscar nutrientes extendendo suas raízes às camadas mais profundas do solo, aquelas em vaso estão limitadas ao pequeno espaço no qual estão confinadas.

Por conta disso, plantas em vaso dependem de você quanto ao acesso aos nutrientes. E é aí que entra a importância da adubação.

O que é Adubo?

Adubo ou fertilizante é tudo aquilo que se aplica ao solo para reposição dos elementos essenciais ao crescimento das plantas.

Eles podem ser orgânicos, produzidos através de processos naturais, ou sintéticos, processados quimicamente em laboratório.

O que Não é Adubo?

É um erro comum pensar que adubar uma planta é fornecer-lhe alimento. Embora alguns de nós tratemos nossas plantas como um bicho de estimação (e eu me incluo nesse bolo), não é bem assim que as coisas funcionam.

As plantas fabricam seu próprio alimento — os açucares que são posteriormente queimados para gerar energia — através da fotossíntese.

Os nutrientes contidos no adubo não são fontes de energia. Porém, assim como nossas vitaminas, eles são essenciais para a formação das plantas.

Nutrição das Plantas

Para entender os tipos de adubo e fazer uma compra segura, precisamos primeiro conhecer um pouco sobre nutrição das plantas. São conhecidos pelo menos 17 tipos de nutrientes utilizados pelos vegetais durante seu desenvolvimento. Eles podem ser divididos em duas categorias:

  • Macronutrientes: Carbono (C), Oxigênio (O), Hidrogênio (H), Nitrogênio (N), Fósforo (P), Potássio (K), Cálcio (Ca), Magnésio (Mg) e Enxofre (S).
  • Micronutrientes: Ferro (Fe), Boro (B), Cloro (Cl), Manganês (Mn), Zinco (Zn), Cobre (Cu), Níquel (Ni), entre outros.

Os macronutrientes são aqueles consumidos pelas plantas em grandes quantidades. Oxigênio, Carbono e Hidrogênio constituem a maior parte da biomassa dos vegetais e são absorvidos do ar e da água. Os demais macronutrientes são encontrados no solo e absorvidos pelas raízes.

Os micronutrientes são aqueles consumidos em pequenas quantidades. Eles constituem apenas um pequeno percentual da biomassa das plantas.

A nutrição das plantas é um assunto que ainda não foi completamente desvendado pela comunidade científica. Em parte, isso se deve à variação das diferentes plantas e espécies e seus requisitos nutricionais.

A forma como estes nutrientes reagem uns com os outros também é um fator que contribui para um melhor entendimento do assunto.

Adubo sintético granular
Ao contrário do que muita gente pensa, o adubo sintético não faz mal as plantas quando aplicado corretamente.

Quando se fala em adubação, nos referimos principalmente a reposição dos macronutrientes, em especial, aqueles ditos macronutrientes primários listados abaixo:

  • Nitrogênio (N): Essencial para formação das proteínas das plantas e clorofila para a realização da fotossíntese.
  • Fósforo (P): Usado no crescimento radicular, além da produção de flores, frutos e sementes.
  • Potássio (K): Usado na formação de tecidos. Necessário para o desenvolvimento da planta, de frutos e essencial para mantê-la saudável e resistente à doenças.

Escolhendo Seu Adubo

A proporção de NPK, ou seja, a quantidade de nitrogênio, fósforo e potássio presentes no adubo é uma das mais importantes informações contidas na embalagem do produto.

Porém, há outras coisas que você deve considerar na hora da escolha:

  • Os nutrientes podem ser liberados ao longo do tempo ou precisam estar disponíveis na hora da aplicação?
  • Você tem preferência por adubo orgânico ou não se importa de usar adubo sintético?
  • Seus vasos estão dentro de casa ou ao ar livre? (Alguns tipos de adubo podem ter um cheiro não tão agradável.)

Proporção NPK

Quando você compra um adubo comercial, deve vir em sua embalagem uma análise da proporção dos três macronutrientes primários. Isso é o que se costuma chamar de proporção NPK.

Uma embalagem com uma proporção de 5-5-5, por exemplo, contém 5% de Nitrogênio, 5% de Fósforo e 5% de potássio. Ou seja, se você compra 500g de um adubo com NPK 5-5-5, isto quer dizer que é garantido ter 25g de cada um dos três macronutrientes primários.

Dependendo do tipo de planta e de seu estágio de crescimento, você pode desejar mais de um certo nutriente que de outro:

  • Nitrogênio (N) estimula o crescimento de novas folhas;
  • Fósforo (P) estimula o desenvolvimento de raízes e a produção de flores e frutos;
  • Potássio (K) promove a boa formação de flores e frutos e da saúde em geral da planta;
proporção npk
Quer você compre no Brasil ou no Japão, a proporção NPK deve estar na embalagem!

Disponibilidade De Nutrientes Após A Aplicação

Os adubos podem ser classificados em adubos de liberação rápida ou lenta.

Adubos de liberação rápida estão em um formato disponível de imediato para as plantas. Geralmente são em forma líquida e/ou precisam ser dissolvidos em água antes do uso. São úteis para dar aquele impulso no crescimento de uma planta ou fazer uma correção rápida em um substrato pobre de nutrientes. Mas cuidado: uma aplicação abundante pode ser prejudicial a sua planta!

Já os adubos de liberação lenta são usados no preparo do substrato, mas também podem ser adicionados durante o cultivo. Estes, ao contrário dos adubos de liberação rápida, são mais tolerantes em relação à aplicação incorreta, pois os nutrientes estão contidos em moléculas mais complexas, que precisam ser quebradas antes de serem aproveitados pelas plantas.

Adubo Orgânico X Adubo Sintético

Os adubos orgânicos são produzidos a partir de matéria orgânica animal ou vegetal, enquanto os adubos sintéticos são produzidos por processos químicos utilizando sais minerais.

Muita gente acredita que o adubo orgânico é melhor que o adubo sintético no que diz respeito à saúde das plantas.

Eu penso no adubo sintético como um suplemento vitamínico. Suplementos de vitaminas são vendidos aos montes em farmácias e complementam a nossa alimentação tradicional. Não fazem mal a saúde, mas é claro que se você beber um vidro inteiro de comprimidos, você corre o risco de passar mal.

Com as plantas não é diferente! Os adubos sintéticos vem com uma concentração maior e podem ser prejudiciais se usados da maneira incorreta.

E isso não vale apenas para as suas plantas. Altas concentrações de um certo elemento podem, por exemplo, comprometer a fertilidade do solo e contaminar os lençois freáticos no subsolo (caso aplicados no quintal).

Sintético ou orgânico, ambos os tipos de adubo cumprem com o seu papel em repor os nutrientes ao solo. Seja qual for a sua escolha, siga sempre as indicações na embalagem.

Evitando Odores Indesejáveis

Estrume de gado, e principalmente de ave, formam um adubo orgânico poderoso, mas que pode deixar um odor desagradável no ambiente. Isso pode vir a ser um problema se seus vasos são mantidos dentro de casa.

Acho que você vai concordar que, de nada adianta você ter uma planta vistosa na sala de estar, se ela cheira a esterco de boi!

Este problema com odor pode ser minimizado, e às vezes até eliminado, se você enterrar o adubo no vaso, cobrindo-o com uma camada de terra.

É claro que você também pode buscar alternativas para o estrume.

monstera adubada com humus de folhas decompostas
Monstera adubada com húmus vegetal. Percebeu as folhas novas crescendo?

Quando Aplicar Adubo?

Já foi dito aqui que excesso de adubo pode trazer problemas às suas plantas e, em alguns casos, até matá-la.

Além disso, uma adubação na estação errada pode estimular crescimento quando uma planta se prepara para entrar em hibernação. Isso pode fazer com que ela desperte para sofrer com as baixas temperaturas do inverno.

Dito isso, o adubo é melhor aproveitado quando a planta se encontra em pleno crescimento. Em outras palavras, é quando novas folhas surgem à todo vapor, ou sua planta está produzindo flores e frutos. Se faz tempo que seu substrato não recebe uma mão de adubo, essa é uma boa hora para reforçá-lo com o fertilizante de sua preferência!

É essencial que você leia e siga as recomendações contidas na embalagem do adubo que você comprou antes de aplicá-lo.

Diferentes espécies podem seguir um calendário diferente, por isso procure conhecer o ciclo da sua planta com antecedência.

Curtiu o artigo? Me segue no Instagram ou no Facebook! Boas colheitas!

Mostre aos seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *